14, 15 e 16 ABRIL ESTRADA REAL CAMINHO VELHO ETAPA FINAL GUARATINGUETÁ A PARATY

Posted by Joao Aquino - 8 de abril de 2017 - CICLOVIAGENS - No Comments

 

14, 15 e 16 ABRIL  ESTRADA REAL CAMINHO VELHO ETAPA FINAL GUARATINGUETÁ A PARATY

via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para ligar o litoral fluminense à região produtora de ouro no interior de Minas Gerais. Na época, no século 17, o percurso levava 60 dias para ser feito pelos tropeiros a cavalo.

Trecho de asfalto ou trilha  
  • Ouro Preto – São Bartolomeu = 18 km de trilha
  • São Bartolomeu – Glaura = 3 km de trilha
  • Glaura – Cachoeira do Campo = 7,5 km de asfalto
  • Cachoeira do Campo – Santo Antônio do Leite = 5 km de asfalto
  • Pequeri – São Brás do Suaçuí = 3 km de trilha
  • Lagoa Dourada – Prados = 3 km de trilha
  • Tiradentes – São João del-Rei = 10 km de calçamento
  • São João del-Rei – São Sebastião da Vitória = 11 km de trilha
  • Capivari – Itamonte = 4,5 Km de trilha
  • Passa Quatro – Garganta do Embaú = 1 km de trilha
  • Garganta do Embau – Vila do Embau = 10 km de asfalto
  • Vila do Embau – Guaratinguetá = 7 km de asfalto
  • Guaratinguetá – Cunha = 22 km de asfalto
  • Cunha – Paraty = 24 km de asfalto *

 

 

PARTICIPANTES

1  JOÃO

2 EDINHO

3 SIMONE

4 WEBER

5 SERGIO

6 ALOISIO

7 MAURICIO

8 HEIDI

9 TATA

10 LUCAS

11 GILSON

12 RENATO GALO DOIDO

13 FERNANDA

14 STEPHAN

15 MARI

16 BALU

17 CLAUDIA

18 ALDER

19 RAFAEL

20 LUDIMILA

21 RODOLFO

22 ALESSANDRA

 

 

 

GUARATINGUETÁ  A  CUNHA  50KM

O trecho mescla asfalto e terra. Tem início em terreno plano, aos 550 m de altitude, com elevação moderada durante os primeiros 10 km. A partir daí iniciam-se fortes subidas, até atingir os 1.100 m de altitude, no marco 1305.   Para os viajantes a pé, a cavalo e de bike é necessário um planejamento antecipado para hospedagem, pois o trecho é longo. Há opções de hospedagem nos marcos 1314 e 1321, conforme orientação da planilha.   Neste trecho a Serra da Mantiqueira fica pra traz e o caminho segue em direção à Serra do Mar.   O município de Cunha é uma estância climática, com clima temperado e seco. A temperatura varia de -3 a 15°C no inverno e de 15 a 25°C no verão. A cidade tem a típica tranquilidade do interior e a sugestão é aproveitar os passeios pelo Parque Estadual da Serra do Mar e uma caminhada até a Pedra da Marcela, a 1.840 m de altitude, de onde se avista o litoral de Paraty, a baía da Ilha Grande e parte de Angra dos Reis.   Em Cunha, não deixe de conhecer os vários ateliês de cerâmica. Em algumas datas é possível acompanhar a abertura de fornos, onde as peças são queimadas. Vários ateliês utilizam o forno à lenha Noborigama de alta temperatura, de origem oriental, que produz cerâmica de grande beleza e alta resistência.

 

CUNHA A PARATY 57 KM

O trecho mescla asfalto e terra. Os primeiros 7 km são marcados por pequenas subidas, descidas e trechos planos. A partir daí, as subidas tornam-se mais constantes, até atingir 1.450 m de altitude, na divisa dos municípios.   Ao longo do percurso, passa-se próximo às cachoeiras do Desterro, do Pimenta e do Mato Limpo. A do Pimenta, no km 11,27, tem área de camping, banheiros e lanchonete, aberta aos finais de semana. A queda d?água é acessível em todos os dias. As cachoeiras do Desterro e Mato Limpo não possuem estrutura de apoio ao turista.   Para quem segue viagem a pé, a cavalo e de bike há várias opções de hospedagem até a divisa dos municípios.   Depois da divisa, a descida pela estrada Cunha-Paraty está em péssimas condições. Uma alternativa para quem está de carro é seguir de Cunha para Lagoinha, continuando em São Luís do Paraitinga e até Ubatuba. Até Paraty, são aproximadamente 185 km.   Para quem vai descer a serra, a sugestão é parar próximo ao segundo marco do Km 38 Estrada Real, à esquerda, onde há um pequeno mirante natural e de onde se avista a bela baía de Paraty.   Próximo ao km 41, a sugestão é sair da estrada à esquerda e conhecer a Cachoeira da Pedra Branca. No marco 208, há outro ponto que pode valer uma parada: a Igreja da Penha, onde está instalado um totem da Estrada Real. Este ponto também dá acesso à trilha do Caminho do Ouro. Para percorrê-la, é necessário contratar um guia.   O final do trecho é plano até o centro histórico de Paraty. O último marco da Estrada Real está ao lado do Chafariz do Pedreira. No Brasil colonial, era pela atual rua Presidente Pedreira que os tropeiros e viajantes partiam a caminho das Minas Gerais e chegavam para seguir em direção a Lisboa.   Atenção! A Estrada-Parque Paraty-Cunha RJ 165 está sendo paralisada nos dois sentidos de acordo com a necessidade da obra de asfaltamento. O tempo de paralisação é de até 3 horas por interrupção, podendo ter várias interrupções por dia, tanto no trecho de Cunha quanto no trecho de Paraty. Os objetivos destas paralisações são dar uma melhor produção à obra e, principalmente, manter a segurança do usuário.

 

MINASRIDERS

CONTATO

31 99955-5436

minasridersmtb@gmail.com

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *